quinta-feira, 31 de julho de 2008

Quem quer um assento na catedral?...

É curioso o percurso do nosso grupo de jogo! No período de um ano (aprox.) temos conseguido reunir semanalmente para jogar e ao longo do tempo temos vindo a incorporar, mais ou menos regularmente, novos amigos, que vão chegando daqui ou dali!

Ontem foi dia de jogar cá em casa. A Filipa já está de férias e não pôde vir (boas férias Filipa!), mas a comitiva restante ainda está por cá e marcou presença. A novidade de ontem foi uma nova presença - a Raquel.


A Raquel é a namorada do Tiago e anda a estudar em Lisboa (embora seja do Porto), por isso nunca pode vir jogar com a malta, mas ontem, fruto de uma série de boas coincidências, alegrou-nos com a sua presença.

O jogo que decidimos jogar foi o Keythedral. Durante o dia de ontem estive a ler as regras e a fazer uns apontamentos para poder explicá-lo de forma clara e o mais rapidamente possível. Embora no início estivesse meio baralhado na forma como havia de "pegar" na explicação, decidi que o melhor seria concretizar a explicação através da prática e assim ir executando as diferentes fases. Acho que resultou, pois após alguns minutos (bastantes!) lá estávamos nós a jogar.


No fim da primeira ronda foi posta a nu uma deficiência da minha interpretação das regras mas depois foi sempre a rolar!


O jogo é muito agradável. Os recursos necessários para construir casas e cercas são os mesmos que usariamos na vida real, isto é, o jogo procura aproximar-se do tema e de certa forma consegue-o.


Em relação ao filme do jogo não há muito a contar. A Raquel ganhou a partida com 58 pontos fruto da astuciosa estratégia de upgrade das suas casas e também dos benefícios colaterais da estratégia do seu namorado, o Tiago. O Tiago ficou em terceiro lugar com 48 pontos. Durante todo o jogo procurou conquistar o marcador de jogador inicial protagonizando o momento da noite quando, ganhando o leilão pelo marcador de jogador inicial por três recursos à Raquel (tendo de lhe pagar com 3 recursos) optou por lhe dar também o marcador que acabava de ganhar! A estupefacção apoderou-se dos participantes, e tal atitude valeu-lhe alguns apupos e evidente insatisfação por tamanho indecoro!



O segundo lugar foi para o Gonçalo com 52 pontos. O Gonçalo passou o jogo quase sempre a jogar em último ou penúltimo e no início ficou sem colocar trabalhadores duas ou três vezes, dando a entender que a contenda não lhe corria de feição. Porém, pelo resultado final parece que se enganou! O terceiro lugar ficou reservado para mim com 42 pontos a um de distância do Jorge que ficou em último com 41 pontos!


Keythedral é um jogo fácil que transpira trabalho de casa do senhor Breese na sua concepção. Há muitos detalhes em que se percebe que a mecânica de jogo foi pensada para se retirar o máximo de factor sorte. Na minha opinião este é um jogo com potencialidades para ser jogado mais vezes mas não se poderá considerar um jogo aditivo, é airoso e bom para aqueles dias em que não se sabe muito bem o que jogar...

Fiquem bem e até breve...

5 comentários:

soledade disse...

Eu gosto muito do Keythedral. Sou o único por aqui que lhe acha mais piada que a um simples jogo médio, ou mesmo médio mais.

Na tua apreciação acho precisamente o mesmo em relação à sorte: o jogo é dos que eu conheço que melhor têm esse factor limado. Ou seja, ela existe mas está em proporção certa naquilo que um jogo deve/pode ter.

E para além disso não é jogo estranho para quem nunca jogou nada. Não será o iniciador ideal mas também não é de desprezar.

PS

Carlos Abrunhosa disse...

Boas Soledade

antes de mais folgo muito em "ver-te" por cá, e aproveito o ensejo para te parabenizar (hehe) pela organização do LeiriaCon 2009. A motivação de dois convidados do calibre de Wallace e de Mac para já não falar do hotel 5 estrelas em que vão organizar o LC09 é de deixar qualquer um com vontade de ir! Se tudo correr como desejo eu estarei!

Depois em relação ao jogo parece que estamos em sintonia, eu acho efectivamente que o Breese se esforçou bastante na fase de teste do jogo em "lima-lo" para que a mais pequena limalha de sorte saísse. O resultado é Keythedral, um jogo muito a baixo do seu real valor no ranking do BGG, mas este não será caso único, certo!

Abraço lúdico
Carlos

Jorge Teixeira disse...

Para mim foi uma agradável surpresa este Keythedral, achei-o bastante dinâmico, com fases de jogo muito diversificadas e interessantes que o tornam muito ritmado...

Foi mais um daqueles que me deixou muito bem disposto apesar da derrota.

Cacá disse...

Grande jogo o Keythedral, mas sempre fico com a impressão que as cartas "pokemon" influenciam demais no jogo...

Mas mesmo assim não fujo dele...

Abraços do Brasil

jackjaques disse...

As cartas são altamente!
Até me fizeram lembrar das Cartas de Intriga do El Grande...! =)