quinta-feira, 26 de junho de 2008

Óscar, new game and happiness too...

Ontem realizámos a II Parte do nosso encontro semanal!!!
Como já devem ter lido, o Jorge, o Tiago e as novatas (Filipa e Nanda), jogaram na 3ª feira. Aliás, o Jorge já escreveu o artigo sobre essa sessão.
Ontem, eu e o Gonçalo, demos cumprimento àquilo que deveria ter sido uma sessão única com todos presentes!
Iniciámos por volta das 21h30 - o habitual - e, por minha sugestão (e que pena tive eu de não jogar RftG!!!) optámos por ler e aprender as regras de Amun-Re. Este jogo já está na minha estante à muito tempo, cerca de meio ano; e meio ano, é tempo a mais para se guardar um jogo que colhe tantos adjectivos qualificativos. Precisava de o experimentar!
Como o jogo de Knizia tem um mínimo de 3 jogadores, tivemos de orientar o Óscar, o nosso amigo circunstancial (hehe)!
Amun-Re é um jogo de leilão na sua essência que utiliza uma multiplicidade de fórmulas de pontuação, muito características de Knizia, conferindo-lhe uma grande profundidade táctica e estratégica.
O jogo tem dois grande períodos, Velho Reino e o Novo Reino. Cada um destes períodos joga-se em 3 rondas e cada ronda tem 5 fases, exceptuando a 3ª ronda que terá 6 fases (fase de pontuação!).
Então de forma resumida, a primeira fase é a de alocar as províncias, a 2ª fase é a de leilão propriamente dito, a 3ª fase subdivide-se em 3 acções: a 1ª acção é a compra e utilização de cartas de poder; a 2ª acção é compra e alocação de jornaleiros e finalmente a 3ª acção é a compra e alocação e/ou construção de pedras de construção/pirâmides. A 4ª fase é o sacrifício a Amun-Re e a 5ª fase é a colheita dos campos intimamente relacionada com a fase anterior (sacrifício a Amun-Re)!
Como já disse anteriormente, a 6ª fase só se realizará na 3ª ronda do Velho Reino e na 3ª ronda do Novo Reino (equivalente à 6ª ronda, se virmos o jogo como um todo de 6 rondas, entre Velho e Novo Reino).
Parece muito confuso mas, como em outros jogos, depois de bem oleado é como guiar uma bicicleta!
Como fait diver posso dizer-vos que o Óscar ganhou a partida!
A explicação para tal feito é a seguinte: Em primeiro lugar porque quer eu quer o Gonçalo, fomos muito condescendentes com os pagamentos que ele deveria ter feito e que, desconfio, não fez (pelo menos ele não disse nada quando o instigámos a contar a verdade)! Em segundo lugar porque o Óscar foi ajudado por nós os dois nas suas jogadas, e finalmente, em terceiro lugar, porque ninguém pode resistir à simpatia dele! lol (em breve irão perceber quem é o Óscar!)
Como devem calcular não posso dizer que é um jogo magnífico pois ontem não deu para perceber a real valia dele, só entendemos como se joga. Mas o seu perfume "em bruto" é agradável, virá em breve à mesa.

3 comentários:

Jorge Teixeira disse...

Parece-me bem, este Amun-RE, principalmente o tema é dos meus favoritos...
Vamos aguardar pela estreia em grupo, parece que promete...
Obrigado amigos por esse esforço de desbravamento de regras, algo que me atrai pouco como sabeis...!

Abraços

jackjaques disse...

cheira-me que não curto lá muito jogos de leilão...

Carlos Abrunhosa disse...

hehe Boas Tiago!

Vê-se mesmo que jogaste o jogo dos quadros! lol

Fica descansado que Amun-Re não tem nada a ver com o Modern Art! Para que fiques descansado eu também não sintonizo muito com ele! Sou péssimo jogador de Modern Art, nunca o ganhei e tenho a certeza absoluta que nunca o vencerei... a não ser que não haja mais nada para jogar! (desculpem lá os admiradores de MA)
Eu até aceito que o jogo é muito bem gizado pelo Knizia, mas ele evidencia a pior localização cerebral que há me mim! hehe
Amum-Re tem apenas o leilão como forma de adquirir "distritos" e maiss nada. Não precisas fazer contas tipo Bolsa de Futuros!