quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Muda-se o dia mantém-se o interesse

Deve ser estranho, para aqueles que nos seguem aqui no JogoEu, que a reportagem semanal tenha saído no próprio dia da jogatina (5ª feira). A razão é fácil de explicar! O Gonçalo pediu que se muda-se o dia habitual e nós, cheios de boa vontade de jogar, nem nos importámos nada!

Depois de um atraso imprevisto, lá começámos, já com cerca de uma hora de atraso (o que se revelou numa ressaca de sono dolorosa na 4ª feira...). Começámos com Modern Art (!), e eu continuo a querer jogar... O vencedor foi o habitual - Gonçalo. Acho que até nem me saí muito mal, mas a verdade é que na parte final arruinei a minha carreira de marchant d'art com compras absolutamente ao lado e também na má gestão dos meus recursos, aquilo que pensava estar a ser um bom jogo foi pelo cano na segunda metade do jogo. Não tenho muito presente mas acho que fiquei a menos de 100 pontos do 2º, o que me faz regozijar, pois alcancei os objectivos mínimos, traçados por mim, para poder, de forma digna, deixar de jogar este jogo. É verdade, Modern Art para mim, agora é só daqui a muuuuuiiiittttooo tempo! LOL

Depois jogámos Arkadia. Ganhei por muito pouco ao Gonçalo, embora tenha ficado com a nítida sensação, ainda antes de contar o ouro, que ele me tinha ganho.
A minha estratégia passou por armazenar o máximo de selos possíveis (pretos e verdes) e guardá-los para a venda final. Entretanto fui conseguindo recolher selos prateados e também 2 ou 3 vermelhos que me permitiram fazer uma venda intermédia. O Jorge apostou mais nos pretos, e no final, na última construção do castelo, feita pelo Gonçalo, todo o seu pecúlio e árduo esforço se esfumou. É que o Gonçalo tapou um dos castelos com selo preto, que iria permitir ao Jorge vender os seus pretos (uma dezena larga deles!), pelo factor 3... Infelizmente, para o Jorge, teve de se contentar com o factor 2... e perdeu o jogo.
O Gonçalo fez uma poupança exagerada dos seus arquitectos (ficou com 3 por usar no fim do jogo!!) e ficou a poucas moedas de me vencer! Com tudo isto só posso dizer que foi uma partida muito equilibrada e que todos poderiam ter ganho.

No fim queríamos jogar Notre Dame, mas o Jorge não podia ficar mais tempo! Ok, mas não deixámos de jogar uma partidinha... só que a 2! Este foi dos jogos mais equilibrados que tive com o Gonçalo a jogar Notre Dame! Foi simplesmente fantástico! A separar-nos ficaram pouquíssimos PV, mas o mais delirante foi a "batalha" de estratégias! O Gonçalo, como já vem sendo normal, apostou numa estratégia voltada para a conquista de PV logo desde o início de jogo, quer pela escolha da Carruagem, quer pela aposta na Residência. Eu, por outro lado, apostei numa estratégia mais alicerçada no Hospital e no Parque (6 cubos no fim!!!).
O jogo começou com o Gonçalo a disparar no número de VP conquistados enquanto que eu só comecei a ter VP na parte final da 1ª volta (o monte de VP dele até assustava de ver, enquanto eu tinha... 3VP!!!). Tudo começou a mudar quando a peste iniciou a sementeira da morte e o cheiro fétido dos cadáveres amontoados na parte Gonçálica de Paris, não deixava margem para dúvidas - estávamos em presença de um rasto de morte! Eu, que já tinha 3 cubos no Hospital, ia conseguindo equilibrar a doença, tendo 3 cientistas de grande prestígio, sediados no hospital, a operar revoluções nas pesquisas para o tratamento e cura da peste.
À medida que avançávamos começou-se a acentuar a minha recuperação (1VP dava-me sempre 4VP (1+3 do parque)). O final foi renhidíssimo! Era ver-me a mim aflito com a necessidade de pontuar para ganhar com a minha aposta massiva no parque, fonte de ar puro (o verdadeiro pulmão da minha vitória final!), enquanto o Gonçalo fazia fisgas para que o jogo acabasse o mais rapidamente possível. A minha estratégia resultou mas foi por uma unha negra (menos de uma dezena de pontos!). Pela primeira vez fiz uma pontuação na casa dos 70's! O Gonçalo acabou com grande dignidade, embora que tenha ficado quase sem cubos no seu cantão, tamanha foi a ceifa da morte, os seus cubos amontoavam-se na reserva, com rostos descarnados e cobertos de ratazanas que se iam alimentando dos seus corpos em avançado estado de putrefacção.

Neste jogo à sempre tempo para dúvidas, que se mantiveram mas que já pude tirar. A dúvida era se eu podia ou não, usar um dos meus cubos dos distritos para usar na Notre Dame, uma vez que não tinha cubos no meu stock, nem na minha reserva (fui buscar os 14 cubos!!!). A resposta à dúvida é clara: sempre que um jogador não tenha cubos no seu stock, pode usar um dos cubos que já esteja colocado num distrito ou na Notre Dame para usufruir da sua carta de acção!


No influence markers in a player's supply?

If a player executes an action, but has no influence markers in his supply, he may, if he chooses, move an influence marker (not his trusted friend) from any other sector (or from Notre Dame) to the sector corresponding to the action he is executing. If the player cannot or chooses not to move an influence marker, he discards the card, but does not execute the action. In other words: in order to execute an action, a player must place one of his influence markers in the corresponding sector (either from his own supply or, if that is empty, from some other place on the board, but never from the general supply).

Example: Peggy wants to execute the Notre Dame card, but have no influence markers in her supply. She chooses to move an influence marker from her hospital to Notre Dame so she can execute the action. She choose... an amount to donate and executes the action.


Parece-me que qualquer dia jogamos este jogo com todas as regras certinhas (hehe)! Parabéns Gonçalo, grande jogão!!

Fiquem bem e até breve.

3 comentários:

CresceNet disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Gonçalo disse...

De facto não interessa em que dia é que é...o que importa mesmo é jogar.
Foi mais uma noite a por à prova as nossas capacidades de "Marchands" de arte e de arquitectos.
No final houve um jogo épico de Notre Dame, muito renhido como disse o Carlos( o resultado final foi 71 - 69 )e muito divertido, que serviu também para corrigirmos mais uma regra, já vem sendo hábito! eeheheeh
Na próxima é que vai ser jogar com tudo correcto...ou talvez não! :)
Abraços

Carlos Abrunhosa disse...

Já estou ansioso por ver o que Feld nos preparou com Im Jahres des Drachen...