quinta-feira, 20 de março de 2008

Finalmente Imperial

Pois é...depois de uma quase estreia à umas semanitas, eis que, finalmente, a estreia oficial de Imperial chegou.

Depois de uma rápida revisão das regras (rápida demais pelos vistos, Heheheheh) lá começamos. A distribuição dos títulos ditou que no início o Jorge governasse o império Austro-Hungaro juntamente com a Grã-Bretanha, o Carlos a Rússia e a Itália e eu a Alemanha e a França. Sendo assim, o grande capitalista Jorge lá começou. Nas primeiras rondas andámos todos a experimentar as acções possíveis do rondel, sem saber exactamente qual o efeito futuro que teriam nas nações. A ideia era ver como tudo funcionava e habituarmo-nos às várias opções. A estratégia ficou para mais tarde. Toda a gente estava na expectativa e quando era tempo de investir niguém sabia ao certo o que fazer. À medida que o jogo foi decorrendo o mapa geo-político começou a ficar mais definido, tendo os investidores clarificado as suas intenções. O Jorge apostou forte na Grã-Bretanha, eu na Alemanha e o Carlos na Rússia. Cada um ia desenvolvendo as suas nações o melhor possível e tentando antecipar quais é que ficariam mais fortes.

Foi um jogo pacífico, ninguém quis entrar muito em conflitos, o que fez com que a "minha" Alemanha atingisse um poder muito grande (em jogos futuros será mais difícil de isso acontecer, penso eu de quê! heheheh). A Alemanha atingiu os 21 pontos, tendo o segundo país mais poderoso apenas 8 ou 9 pontos (se não estou em erro).

Mais uma taxação e a vitória certamente me sorriria. Mas se pensam que o jogo terminou logo a seguir, estão enganados. Depois de o Jorge ter desenvolvido um pouco mais a Áutria-Hungria eu comprei a maioria dos títulos, ficando como governador. Passado pouco tempo fiz o mesmo com a Itália. Fiquei então a governar a Alemanha, Itália e Áustria-Hungria. Foi bonito de se ver, fui adiando sempre a taxação da Alemanha, para não terminar o jogo, tal era o vício. Não sei, estava com vontade continuar. Nos entretantos o Jorge, depois de ter reunido um bom dinheiro, resolveu apostar forte na Rússia, um erro de que depressa se apercebeu...o que ele queria mesmo era títulos da Alemanha. Eu continuava a adiar o final do jogo e a expandir Itália e Áustria para maximizar uma futura taxação. O jogo foi decorrendo e o Jorge e o Carlos faziam a taxação da grã-bretanha e da Rússia, respectivamente, fazendo subir as suas pontuações. Viciado como estava no jogo...aumentei o poder militar da Alemanha para fazer face à Grã-Bretanha e continuava alegremente a expandir a Áustria e a Itália. Ás páginas tantas o Carlos faz o investor da Rússia e soma uma pipa de massa (fruto de jogadas anteriores de investor minhas e do Jorge que também lhe foram favoráveis) e compra tudo o que havia para comprar da Alemanha (sim, eu sei, não se podia fazer, como mais tarde descobri). Torna-se governador da Alemanha, fazendo a sua última taxação e acabando o jogo antes de eu poder fazer uma taxação muito favorável da Áustria e da Itália. Foi lindo!!!

No final adivinhem que NÃO ganhou! Eu claro! Acabei com 105 pontos contra os 114 do Carlos, tendo o Jorge ficado em 3º lugar. hhehehehPerdi, mas deu-me um gozo enorme jogar. É verdade que esta foi apenas a primeira vez, mas fiquei fã. O Jorge também gostou muito do jogo e disse que este era capaz de detronar o seu favorito PowerGrid. Quem gostou, mas não ficou tão impressionado foi o Carlos, fruto das enormes expectativas que tinha criado em relação ao jogo. De qualquer modo esta foi só a primeira vez...de muitas espero.

Abraços e fiquem bem.

Gonçalo

P.S.: Acho que me estiquei um bocado!eheheheh. Desculpem lá.

8 comentários:

soledade disse...

Este jogo TEM de destronar o Power Grid. É um bocado melhor. E até deve jogar bem a 3 jogadores, ao contrário do PGrid.

Quanto a andar a brincar às acções, pois! heheeh Bem feito! o Imperial é para se jogar cruel! Pumba! Ganhei!
:)

PS

jackjaques disse...

Logo quando eu não posso aparecer pra jogar é que se poem a jogar uma cena destas...
Afinal como é que é isso!?

Carlos Abrunhosa disse...

Pois que não fique a ideia de que não gosto! Bem pelo contrário. Gostei muito do jogo mas tinha expectativas diferentes em relação ao jogo (o problema é meu, não do jogo!)

Concluindo gostei muito do jogo e só aponto um pequeno problema... se calhar de controlar apenas uma nação é uma seca danada estar à espera que chegue a nossa vez... mas eu penso que as regras precisam de ser mais afinadinhas no nosso grupo porque decerto lhes demos muitos "pontapés"! (hehe)

Carlos Abrunhosa disse...

Com a pressa toda não te dei os parabéns pelo artigo.

Já agora parabéns (atrasados) pelo teu aniversário (17/3).

soledade disse...

Algumas pessoas apontam o downtime como um defeito de Imperial, sobretudo se não controlares nações. Pois, isso parece óbvio. Também me aconteceu nas primeiras vezes que joguei.

Mas só parece. Na verdade, só ficamos sem nada para fazer se quisermos porque, ao contrário do que parece, podemos estar a escolher a melhor maneira, a ler todos os sinais, para cruelmente e sem ponta de dignidade, atacar o mercado por uma acção que nos faça voltar em grande forma. É só esperar pelo timing certo para dar a machadada. Isto requer sempre muita atenção a todas as jogadas e, portanto, acabamos por estar sempre envolvidos.

Eu não me importo de "ver jogar" um bocado para saber melhor controlar os timings de passagem do Investor e saber em quem devo investir.

Pronto. Já perceberam que eu sou um bocado fanático em relação a este jogo, né?! :)

Jorge Teixeira disse...

O jogo está fantástico, aquele misto prazer entre gerires "bem" a nação e nunca deixares de pensar em teres o teu seguro é infelizmente o que se passa na governacia real...
Parece-me que nunca deves apostar em demasia numa nação, pois quando ela está no seu auge... ups, foi-se para o vizinho...!
Quanto ao downtime, passei um pouco pela experiência e também não gostei muito, mas é como o soledade diz, pode ser interessante para planear uma estratégia fatal.

@Tiaguinho, não desanimes, não vão faltar oportunidades para jogares imperial connosco, este sem dúvida vai voltar em breve à mesa!

Abraços e desde já...
Boa Páscoa a todos os visitantes do JogoEu!

Gardagami disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
#nbs# disse...

Sou fã desde que o Mac no encontro de Leiria (sim eu joguei Imperial com o Mac :P ) ao invadir a sua terra Natal , impedindo uma fábrica de produzir unidades, disse baixinho :

"-This is just annoying..."

ps- Ainda não sei jogar... mais uns 15 jogos e tou lá... mas é um jogo fabuloso !