sábado, 8 de dezembro de 2007

2007 está de partida...

Embora não seja o exemplo perfeito de um conhecedor profundo da realidade do hobbie em Portugal, posso afirmar com alguma convicção que os jogadores esclarecidos e mais ou menos activos no nosso país aumentou!

Perdoem-me aqueles que, sabendo muito mais do que eu relativamente a este assunto, discordam da minha opinião.
A minha afirmação baseia-se basicamente em factores eminentemente empíricos - crescimento do números de sites e blogs portugueses ligados à área, aumento do número de registos no site de referência nacional (abreojogo), reconhecimento internacional de alguns jogadores portugueses (GoW), relatos de viagem a Essen 2007, and so on, and so on... Provavelmente não chega para afirmar com exactidão que o hobbie se está desenvolver no nosso país, mas pelo menos parece estar a crescer (que basicamente é o mesmo?!)
A razão da minha reflexão é simples e objectiva: e agora 2008! Crescer mais, como?
Das leituras feitas aqui e ali, conseguimos saber que países como Espanha e Itália vivem períodos de forte expansão no número de jogadores regulares, enquanto que a França, a Bélgica, a Holanda e a Inglaterra têm realidades ainda mais desenvolvidas no que concerne ao jogo e à sua prática regular, para já não falar na Alemanha, que é o berço dos maiores criadores de jogos de tabuleiro.
Parece mais ou menos consensual que todos os países que mencionei têm índices de qualidade de vida superiores ao nosso, o que atesta, uma vez mais de forma empírica, que nestes países o jogo acaba por contribuir para o seu desenvolvimento (parece-me patético dizer que o jogo aumenta a produtividade económica dos estados, mas já não me custa afirmar que melhora a qualidade de vida dos seus cidadãos!)
Este ano de 2008 é uma porta aberta para o incremento da expansão do número de jogadores regulares e talvez importe definir com clareza os objectivos dessa expansão.
Na minha opinião os jogos têm de chegar cada vez mais cedo e a mais pessoas, logo um dos principais campos de introdução ao mundo dos jogos é a escola. Em Portugal já se vão fazendo muitas aproximações à escola, neste particular talvez valha a pena ler o artigo do Bruno Valério sobre o livro "Boardgames nas escolas" de Paulo Pereira e Nuno Valente, que se encontra publicado no site "Rede de Jogos" (e ler o livro também!!); ou dar uma olhadela nas fotos do nosso amigo Pombeiro que levou o jogo à sala de aula do filho. São estas iniciativas que vão com certeza alicerçar o jogo na nossa cultura, colhendo-se daí todos os benefícios que ele promove no desenvolvimento intelectual das crianças.
Outro dos assuntos que talvez fosse interessante discutir durante 2008 é a definição de um prémio anual - do tipo Jogo do Ano Português. Este ano de 2007 já contou com essa atribuição (Imperial de Mac Gerdts - Jogo do Ano 2006), feita pelos nossos amigos de Leiria, mas as vozes foram mais ou menos dissonantes em relação à duvidosa representatividade desse prémio (parabéns à malta de Leiria por estarem sempre na crista da onda!).
Quer-me paracer que já temos canais nacionais mais ou menos abrangentes que nos permitiriam encetar uma votação de escala nacional, que assente em dois ou três encontros de carácter nacional, sustentariam uma escolha representativa do gosto nacional em relação ao Melhor do Ano. Talvez não fosse difícil encontrar o regulamento do Spiel des Jahres ou outros prémios anuais, para assim podermos fazer o nosso próprio regulamento nacional. O júri nacional, composto por 4 ou 5 elementos (?!), poderia também ser seleccionado por votação...
Outra das medidas que se deveria promover é a maior acessibilidade aos jogos, para que quem compra, o possa fazer com conhecimento daquilo que está a comprar. Neste âmbito talvez as bibliotecas municipais pudessem fazer muito mais do que aquilo que estão a fazer, mas há que interpelar...
Bom, fica aqui um punhado de ideias que talvez possam ajudar alguém, que possa mais que eu, a dar uns passinhos para a frente na expansão do hobbie em Portugal.

Fiquem bem e até breve.

7 comentários:

Hugo disse...

Concordo contigo. Realmente os jogadores estão a aumentar e se bem que há alguns anos tinha dificuldade em arranjar jogadores, agora, por vezes, até tenho de pedir para não aparecerem porque senão vai haver mais jogadores do que aqueles que os jogos permitem.
No entanto também tem havido algumas empresas que vão lançando jogos com regras em Português o que também é positivo. O único problema é que, pelo menos para mim, essas empresas não fazem absolutamente nada para difundirem os seus produtos e o gosto de jogar. Se olharmos para a Devir, a Netsurf ou mesmo a Runa, pouco fazem para fazerem chegar os jogos ás pessoas. Quem difunde o hobby verdadeiramente neste canto da Europa são os nossos blogs. Os jogos de tabuleiro, o Spielportugal, a rede de jogos, o Jogo Eu, e claro o AbreoJogo. Certamente que convosco também acontece, mas são muitos os mails que chegam a perguntar aonde se podem comprar os jogos que criticamos. É um bom sintoma do interesse dos potenciais jogadores e do marasmo empresarial de quem mais beneficia desse interesse (quem distribui os jogos).
Por isso é que não mexo uma palha para atrair novos jogadores que não sejam os meus amigos e através dos posts que lá vou escrevendo.
Espero que em 2008 as empresas de distribuição façam alguma coisa em prol do hobby.
Parabéns pelo Blog

Carlos Abrunhosa disse...

Obrigado Hugo. É sempre uma enorme satisfação receber os amigos em nossa casa (leia-se no nosso blog). Cá por Aveiro vamos tentando aumentar os entusiastas do jogo, mas a tarefa não parece muito fácil, não por falta de jogadores, penso eu, mas sobretudo por falta de conhecimento mútuo entre jogadores. Os jogos de tabuleiro são um hobbie pouco difundido e penso que tem associado a si um sindrome de omissão, isto é, por norma as conversas sobre o meu hobbie não andam muito nas minhas conversas quotidianas com as pessoas que me relaciono profissionalmente, assim como acontece comigo provavelmente acontece com muitos outros gamers, logo a difusão não é muita...
Uma vez mais obrigado pela tua participação e volta sempre.
Abraço
Carlos

Jorge Teixeira disse...

Viva!


Eu julgo que um dos principais factores da parca proliferação do nosso hobby se deve em grande parte às tendências individualistas da nossa sociedade.

Agora traduzindo de "Manuel Machadês " para Português corrente:

Esta merda do pessoal passar 6 horas a jogar FM sozinho em casa a falar para ao computador tem de acabar.

Acreditem que é verdade, reparem na média de idades dos nossos mini-grupos, não sei mas deve andar pelos 30/35 anos, os putos querem é teclados, ratos e consolas, gostam mais de jogar sozinhos, sabem que aí ganham sempre nem que repitam 20 vezes o jogo. Estamos numa sociedade que estimula o individualismo, uma sociedade fechada nas gavetas de cada prédio, sem pátios para jogar à bola, sem mesas para 4 pessoas...

Com isto não quero dizer que não goste de vídeo jogos, pois já passei as minhas 4 horas a jogar CM , mas sempre preferi estar com os amigos, sair com eles, beber um copo, ir ao café jogar snoker por exemplo... Os putos de hoje em dia não são assim, fecham-se em casa, jantam no quarto e dão conferências de imprensa no fim dos jogos de FM.

Para mim este é o principal problema, vivemos numa sociedade fechada, desconfiada, sem tempo para uma boa jogatana...

Ah! E também há aqueles que não ligam puto a isto...!

Obrigado Hugo pela tua visita e comentário, aparece sempre!


Abraços

Jorge

Gonçalo disse...

Tamb�m concordo com o Carlos. Aparentemente os grupos de jogos est�o a crescer e isso � positivo. Como o Hugo diz quem difunde os jogos e o gosto s�o sobretudo os sites e blogs dedicados ao tema e n�o as editoras, mas penso que o crescimento deste mundo dos jogos vai provavelmente provocar uma mudan�a de atitude.
Em rela�o ao pr�mio de melhor jogo do ano em Portugal, j� houve um princ�pio...agora � s� tentar tornar o pr�mio mais representativo atrav�s de uma vota�o mais abrangente.
Abra�os,

P.S.: Sempre � l� em tua casa, Carlos? O que sugerem jogar. Eu por mim come�ava com o " Meuterer", agora que o jogo j� se tornou flu�do valia a pena jogar outra vez e depois talvez um S�o Petersburgo! N�o sei! Tanto faz :)

Carlos Abrunhosa disse...

Pois cá por mim ia numa coisa mais looooonnga! Que acham de uma partidinha de PR? Ou de PG? Ou TE?

Se quiserem PR é só teclarem e eu tenho-o preparado quando vocês chegarem, se a opçãoi for para os outros dois, temos de montar o jogo quando vcês chegarem!

Também podemos ir por um Notre Dame, Meuterer e acabar com carcassone (o clássico!)

Decidam e deixem aqui as vossas escolhas!

Logo às 21h! Hoje não dá mesmo para ser antes!

Abraço Carlos.

Gonçalo disse...

Bora lá jogar um Puerto Rico! Tem a vantagem de já poder estar preparado. Mas se preferirem levo o Caylus, tb se monta num instante! Pelo sim pelo não levo também o PG e o TE.
ABraços e até logo,
Gonçalo

vital disse...

é verdade Carlos, são os poucos blogs e sites que andam a divulgar os jogos de tauleiro, pois os distribuidores não estão preocupados senão em fazer contas de cabeça aos lucros (curtos diga-se de passagem) que vão ter no final do ano. Pode ser que acordem e vejam que se fizerem mais alguma coisa para divulgar e atrair novos jogadores os lucros podem tornar-se mais gordos.

Neste momento estou como o hugo, quero é atrair mais gente para a minha mesa de jogo e reunir a malta que participa nestas andanças. E de preferencia jogar muito mais jogos.